Eduardo Rocha relembra a luta pela manutenção da Copa do Nordeste


Eduardo Rocha ( foto de Júnior Santos ) presidente da Liga do Nordeste participou do Tocando a Bola da 98FM nesta sexta-feira (31) e relembrou a batalha travada contra Rede Globo e CBF para evitar a morte da Copa do Nordeste: " Foi uma luta de alguns anos onde empreendemos uma disputa judicial muito longa, de quase 8 anos com a Rede Globo e a CBF e ao término nós saímos vitoriosos em duas instâncias e na terceira instância, o STJ as partes houveram por bem  conciliar. Naquela oportunidade a conciliação foi que voltássemos a competição  do Nordeste no momento por três anos  mas com o compromisso da CBF que a partir dai ela poderia ser perene e é o que aconteceu"

A competição que hoje proporcionalmente é muito mais rentável do que o Brasileiro da Série B, ganhou vaga permanente no calendário da CBF: "  Hoje nós temos um campeonato que a cada ano aumenta o interesse por ele. Neste ano os maiores times do Nordeste estão presentes, os três grandes de Pernambuco, os dois grandes do Rio Grande do Norte, a dupla Ba-Vi, Fortaleza e Ceará, ambos da Primeira Divisão do Brasileiro, Botafogo, Confiança, CRB e CSA que até ano passado disputou a Primeira Divisão, grandes equipes, o River que é tradicional no Piaui, o emergente Imperatriz e temos grandes clássicos".

Depois de dois anos, o Rio Grande do Norte volta a ter um clássico entre ABC e América pela Copa do Nordeste: " Um jogo importantíssimo para os dois. Acho que só a vitória interessa para os dois, o empate  não será um bom resultado, aquele que vencer dará um passada razoável para fixar uma das vagas, agora classificam quatro".

A premiação e o apoio financeiro para os clubes: "Cada um dos quatro classificados de cada grupo receberá mais 300 mil reais, um campeonato que  o clube sai de casa com o translado para o aeroporto, passagens aéreas, ônibus a disposição para o treino na cidade onde ele for jogar, tem alimentação completa e hospedagem, arbitragem é paga pela CBF através das federações que recebem e repassam. É um campeonato free para os clubes e que dá uma quantia excelente no  começo com uma cota fixa e posteriormente tem as premiações. 300 mil na primeira fase, 350 na segunda e a partir dai quem chega entre os quatro tem outras premiações chegando até 1 milhão para o campeão e 550 mil reais para o vice".

Na próxima terça-feira, a direção da Liga do Nordeste estará reunida em Recife para discutir a criação da Segunda Divisão da Copa do Nordeste.

Relembre

É preciso reconhecer de forma definitiva que não fosse a obstinação de Eduardo Rocha, a Copa do Nordeste teria sucumbido como a Sul-Minas, a Copa Norte e outras competições regionais. Para quem não conhece ou não lembra, Eduardo iniciou a briga com a CBF e com a Globo praticamente sozinho, e enfrentando oposição de federações como a Pernambucana, Cearense e Baiana, que não queriam a competição e nem  briga com a CBF. Houve uma espécie de boicote por parte de algumas federações que não quiseram sequer ceder arbitragem.

Hoje todo mundo quer a paternidade da Copa do Nordeste, hoje todo mundo acha a competição uma jóia, e de fato é, mas eu como vivi de perto a fase magra da competição, tenho bem em mente que muitos dos que hoje aplaudem a competição e a Liga, naquele momento dificil viraram as costas, se esconderam, temeram o confronto contra o poder da CBF e da Rede Globo.

A Copa do Nordeste, gostando ou não, tem  DNA potiguar, leva as digitais de Eduardo Rocha. Reconhecer a importância dele neste cenário é questão de justiça.





Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

América: Panela de pressão estourou

Eleição na Federação de Futsal: STJD nomeia interventor

Arbitragem feminina ganha espaço e entra para a história do futebol potiguar