Sobre Auditor do TJD barrado no Nazarenão, Palmeira afirma em nota que "quem violou a lei desportiva foi o Auditor"

Domingo passado no Nazarenão, o auditor do Tribunal de Justiça Desportiva do Rio Grande do Norte, Carlos Barroso, afirmou em áudio que o blog teve acesso que foi barrado na entrada do estádio.

Ele acionou o presidente do TJD, Adriano Rufino que depois de um telefonema para o Delegado da FNF no estádio, garantiu o acesso do Auditor.

Na manhã desta terça-feira, em Nota, o Palmeira afirma que quem "errou foi o auditor ". Vejam o conteúdo da Nota

Nota à Impresa 

Sobre a ida do auditor do TJD/RN ao Estádio Nazarenão e sua entrada gratuita. 

Em verdade, o auditor do TJD/RN (foi assim que o cidadão se identificou) adentrou gratuitamente o interior do estádio Nazarenão no jogo entre Palmeira F. C x ABC F. C, em 12/01/2020.

Patentemente, porém, os fatos ocorridos se deram em total desacordo com a legislação, que no artigo 20, parágrafo único do Código Brasileiro de Justiça Desportiva - CBJD - determina:


O auditor, sempre que entender necessário para o exercício de suas funções, terá acesso a todas as dependências do local, seja público ou particular, onde estiver sendo realizada qualquer competição da modalidade do órgão judicante a que pertença, à exceção do local efetivo da disputa da partida, prova ou equivalente devendo ser-lhe reservado assento em setor designado para as autoridades desportivas ou não. (Redação dada pela Resolução CNE no 29 de 2009).
Parágrafo único. O acesso a que se refere este artigo somente será garantido se informado pelo respectivo órgão judicante à entidade mandante da partida, prova ou equivalente, com antecedência mínima de quarenta e oito horas. (NR).


Ocorre que quem errou (e violou) a lei desportiva foi aquele que tem o dever de defendê-la e aplica-la: o Sr. auditor do TJD/RN.

Isso mesmo! O Sr. auditor do TJD/RN violou o CBJD: entrou sem pagar ingresso no estádio em uma circunstância fática não amparada pela legislação. 

Isso porque o clube mandante da partida não foi informado com a antecedência mínima de 48h de que o auditor do TJD/RN iria ao Estádio Nazarenão. 

E também porque o cidadão que se apresentou como auditor do TJD/RN estava vestindo uma camisa do ABC F.C. Isso indica que o mesmo foi ao estádio torcer pelo seu clube de coração, o que afasta completamente a possibilidade de o referido auditor ter ido (ao estádio) cumprir necessidades inerentes ao exercício de suas funções.

Comentários

  1. Como que uma pessoa dessa pode ser imparcial em qualquer processo, em que o réu seja o ABC, brincadeira..

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Eleição na Federação de Futsal: STJD nomeia interventor

América: Panela de pressão estourou

Arbitragem feminina ganha espaço e entra para a história do futebol potiguar